Ministério da Educação anuncia mudanças para o Enem

O MEC, Ministério da Educação, anunciou, nesta terça-feira, dia 20, um novo formato para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), porém só entrará em vigor em 2021.

A prova que serve de ingresso para o ensino superior passará a cobrar, no primeiro dia. conteúdos gerais básicos, previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) ainda em construção no Conselho Nacional de Educação (CNE). No segundo dia, o candidato fará um exame de assuntos específicos, conforme a área que ele optar vinculada à graduação que pretende cursar.

O mudança é um reflexo da reforma do ensino médio, aprovada no governo Temer, que definiu cinco itinerários formativos para ocupar 40% da carga horária dessa etapa escolar: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. A ideia de flexibilização, portanto, deve chegar ao Enem, com o candidato optando pela área da prova específica.  O atual Enem prevê uma mesma avaliação para todos os participantes.

As diretrizes curriculares homologadas pelo ministro nesta terça-feira preveem oferta de ao menos dois itinerários formativos em cada município para os alunos do ensino médio. Eles podem cursar mais de um, se quiserem. A capacidade de as redes escolares ofertarem essa parte flexível prevista na reforma é uma das principais preocupações de

As diretrizes abriram a possibilidade de sistemas de ensino firmarem parcerias com instituições educacionais para ofertar conteúdos via educação a distância. Basta, segundo as normas homologadas, que a instituição seja reconhecida pelas Secretarias Estaduais de Educação e pelo Conselho Estadual de Educação. Ficou permitido uso de educação a distância em até 20% do ensino médio diurno, 30% do noturno e 80% do ensino de jovens e adultos, conforme noticiado quando o CNE aprovou o texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *