Retirada de ônibus prejudica moradores

Linha deixa de circular na região por causa da integração com o metrô

 

Algumas Linhas de ônibus em Salvador sofreram alterações, outras foram criadas e algumas foram excluídas do sistema. Um dos casos foi à remoção da linha: “Mata Escura/ Itapuã via Orlando Gomes”. Com a retirada do ônibus, moradores têm apenas o Subsistema de Transporte Especial Complementar (STEC), para ter a acesso à Avenida Orlando Gomes e região.

Segundo moradores da Sussuarana, não houve um aviso prévio para retirada do ônibus, como conta Sandra Soares (35), “Pegava esse ônibus de segunda a sexta para ir trabalhar, cheguei ao ponto segunda feira como de costume e fiquei esperando o ônibus, mas ele não passou, achei estranho, mas continuei ali, até que uma vendedora ambulante me disse, que não tinha mais o ônibus”.

Motoristas e cobradores que trabalhavam na linha “Mata Escura/ Orlando Gomes”, foram remanejados, e outros demitidos. O motorista Jorge Carvalho (45) conta, “Quando me chamaram pra conversar fiquei nervoso, com medo de ser demitido, mas graças a Deus me mandaram para outra linha”.

Alunos do colégio estadual de Aplicação Anísio Teixeira, se reuniram no dia 09 de Abril, para fazer uma manifestação contra a retirada do ônibus, o ato foi realizado em frente ao Centro universitário Jorge Amado e seguiu até a frente do Colégio.

Alice Pacheco (16), aluna do 3° ano ensino médio, conta o quanto tem sofrido com a falta do ônibus: “Desde a 5° série eu estudo no Aplicação, e esse ônibus tem sido muito necessário para a gente que mora na Sussuarana e estuda do lado de cá, mas a prefeitura não ver isso, eles querem que a gente faça integração e não se importa se isso vai fazer a gente chegar atrasado ou não”.

A Secretaria de Mobilidade de Salvador disse que não estão falando em cortes, “mas em reestruturação, que assegure o metrô como um sistema que se incorpora ao costume da cidade”. Quase metade das linhas do ônibus da cidade foram redesenhadas, cumprindo a lógica de garantir a integração com o metrô e a racionalização dos ônibus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *