A tradicional lavagem do Bonfim

Em uma caminhada de 8km, centenas de devotos católicos e candomblecistas saíram da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, em direção da Colina Sagrada, no Bonfim, para celebrar o Nosso Senhor do Bonfim, Oxalá para o povo santo, nesta quinta-feira(17).

A festa que neste ano tem como tema, “Jesus, o amado Senhor do Bonfim”, acontece há 264 anos, quando os escravos eram obrigados a lavar as escadarias do templo antes da festa. Desde então, sempre é feito uma “faxina” no templo três dias antes do dia oficial do Nosso Senhor do Bonfim, que todo ano é celebrado no segundo domingo após o dia 6 de janeiro, data em que a igreja católica realiza a Festa de Reis. Neste ano, será celebrado no dia 20 de janeiro.

Devota por mais de 12 anos, a dona de casa Lurdes Bezerra, 68, é ativa na caminhada para a lavagem das escadarias, desde que sua neta Bianca nasceu, e decidiram sair de São Paulo, para morar na Capital Baiana.

“A mãe da Bia teve complicações durante o parto, então eu chamei meu filho e fui para capela do hospital em São Paulo para orar, pedi ao Senhor do Bonfim que ele ajudasse minha neta a nascer com vida, e que a mãe dela pudesse viver também. Ele ouviu, agora todo ano eu venho agradecer a bênção para ele”.

Assim como a historia de Dona Lurdes, existem inúmeras. E ainda dentro da crença popular, a fita do Bonfim é um amuleto típico na cidade de Salvador. Ela deve ser envolvida com duas voltas no pulso esquerdo e ser amarrada com três nós, cada um deles correspondendo a um pedido feito em silêncio. Os desejos serão realizados quando a fita romper-se espontaneamente. Há ainda um detalhe a ser ressaltado, a fita não deve ser comprada, mas sim, presenteada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *